Sou Filha das Ervas


Trago o alecrim
Trago o saramago
Cheira-me a jasmim
O resto que trago

Trago umas mezinhas
Para o coração
Feitas das ervinhas
Que apanhei no chão

Sou filha das ervas
Nelas me criei
Comendo as azedas
Todas que encontrei

Atrás das formigas
Horas que passei
Sou filha das ervas
E pouco mais sei

Rosa desfolhada
Quem te desfolhou
Foi a madrugada
Que por mim passou

Foi a madrugada
Que passou vaidosa
Deixou desfolhada
A bonita rosa

Ramos de salgueiro
Terra abrindo em flor
Amor verdadeiro
É o meu amor

Papoila que grita
No trigo doirado
Menina bonita
Rainha do prado

Amália Rodrigues