Feijoca Catarina

Olha o feijão carrapato
Que é vagem na minha aldeia
Tenho a pedra no sapato
Ninguém ma tira da ideia

O feijão diz à feijoca
Quando lhe toca a ramada
Dá-me cá uma beijoca
Antes de seres descascada

A feijoca Catarina
Mais o feijão Catarino
Queriam uma menina
E nasceu-lhe um menino

Tira o marmelo do forno
Tira o nariz da panela
Toma o café que está morno
Não me abras a janela

Menina minha menina
Onde vais a estas horas
Ó dona da minha sina
Que já sei aonde moras

O galo que tinha medo
Que a dona fosse matá-lo
Saiu de noite em segredo
E foi à missa do galo

Amália Rodrigues